Novo medicamento

 

Estudos recentes revelam, diminuir efeitos secundários da quimioterapia em doentes com cancro.

 

 

Uma publicação no Science Translational Medicine, revela que o fármaco Huang Qin Tang (da Medicina Tradicional Chinesa), fabricado a partir de flores de Peónias, Escutelária e seiva de árvores, trata desordens intestinais, como vómitos e diarreia, sintomas da quimioterapia.

Os investigadores Yung-Chi Cheng e Wing Lam, da Faculdade de Medicina de Yale, em conjunto com a farmacêutica PhytoCeutica, criaram um fármaco, que demonstra efeitos curativos. Esta mistura de plantas já foi testada com sucesso em ratos com cancro sujeitos a quimioterapia.

De acordo com Young-Chi Cheng, o uso de plantas medicinais em conjunto com químicos mais modernos “poderá conduzir ao desenvolvimento dos medicamentos do futuro”. Após alguns dias de tratamento com o fármaco, os investigadores observaram que as lesões que os ratos tinham no revestimento intestinal estavam curadas. Os investigadores também descobriram que as moléculas de sinalização das células-tronco (conhecidas como Wnts) estavam presentes em níveis mais elevados do que o normal no intestino dos ratos tratados com o fármaco.

Os investigadores concluíram que o fármaco em si não simula a sinalização das Wnts, mas ao misturar-se com uma enzima bacteriana do intestino desencadeou uma reação que regenera as células danificadas.

“A combinação da quimioterapia com as propriedades das plantas é uma simbiose entre as tentativas do Oriente e do Ocidente para tratar o cancro“, assinalou Young-Chi Cheng.

Comentários no Facebook